Rua Pedro Jaccobucci, 400 . São Bernado do Campo - SP (011) 4330-6166 administracao@apmsbc.org.br

Santa Casa de Jaú confirma morte de mulher por suspeita de reação à vacina da febre amarela

Uma mulher de 57 anos morreu no domingo (28) na Santa Casa de Jaú (SP) por suspeita de reação à vacina da febre amarela. Segundo informações de boletim de ocorrência, a mulher teve meningite quando criança e era sempre acompanhada ao médico por parentes. No dia 18 de janeiro, a mulher tomou a dose da vacina e, na madrugada seguinte, começou a ter falta de ar. O quadro dela evoluiu para febre e inchaço do coração.

Segunda, 05 de fevereiro de 2018


Uma mulher de 57 anos morreu no domingo (28) na Santa Casa de Jaú (SP) por suspeita de reação à vacina da febre amarela.

Segundo informações de boletim de ocorrência, a mulher teve meningite quando criança e era sempre acompanhada ao médico por parentes.

No dia 18 de janeiro, a mulher tomou a dose da vacina e, na madrugada seguinte, começou a ter falta de ar. O quadro dela evoluiu para febre e inchaço do coração.

O corpo foi transferido para o laboratório de patologia da Unesp de Botucatu, onde foram coletadas algumas amostras a fim de descobrir a causa da morte.

A Vigilância Sanitária e departamento epidemiológico do estado foram comunicados. A Santa Casa, inicialmente, registrou um boletim de ocorrência na madrugada de segunda-feira (29) como morte suspeita.

De acordo com o BO, o quadro clínico suspeitava que a mulher morreu por conta da vacina. Porém, no mesmo dia, a Santa Casa registrou um complemento como morte natural, já que a responsabilidade do laudo necroscópico ficou com a Unesp.

O hospital relata que todas as medidas da vigilância epidemiológica foram tomadas. Só será possível obter um boletim médico confirmando ou não a suspeita de febre amarela após o resultado da necrópsia ser divulgado.

Situação do estado de São Paulo

Até o momento, o estado de São Paulo registrou três mortes causadas por reação à vacina e seis ainda estão sob análise. A morte da mulher em Jaú não está no relatório por ser recente no boletim epidemiológico divulgado semanalmente pela Secretaria de Saúde.

Desde janeiro de 2017, foram reportados 364 casos suspeitos de febre amarela. Desses, 165 foram confirmados e 50 evoluíram pra morte.

Já em relação à febre amarela em primatas, desde julho de 2016, o Ministério da Saúde recebeu 253 notificações e, em 53 delas, foram confirmadas a circulação do vírus.

Em Bauru, Botucatu e Marília, há casos já descartados e outros ainda em investigação.

Por: G1/APM

 

Voltar