Rua Pedro Jaccobucci, 400 . São Bernardo do Campo - SP (011) 4330-6166 (011) 96301-1337 administracao@apmsbc.org.br

APM discute casos clínicos em Medicina do Esporte

​A sociedade parece cada vez mais preocupada com a saúde e com o corpo. Nesse contexto, o departamento desportivo da APM realiza discussões mensais sobre casos clínicos.

Segunda, 15 de abril de 2019


A sociedade parece cada vez mais preocupada com a saúde e com o corpo. Nesse contexto, o departamento desportivo da APM realiza discussões mensais sobre casos clínicos, com o intuito de trocar experiências e fornecer atualizações sobre tratamentos e diagnósticos. O encontro acontece dia 25 de abril, às 19h, na sede da associação.

Todo mês é selecionado um caso clínico das instituições que possuem serviços de residência médica na área, como a Escola Paulista de Medicina (EPM) e o Hospital do Servidor Público Estadual. Não há um tema específico, tudo depende da situação levantada pelas entidades. Geralmente, o médico residente apresenta o caso para debate do qual participam residentes, um médico convidado, além da diretoria da APM e membros do departamento de medicina esportiva.

A residência médica na área é uma novidade. A primeira turma de médicos residentes é de 2007, há 12 anos atrás. Fernando Bianchini Cardoso, médico do exercício do esporte e presidente da Sociedade Paulista de Medicina Desportiva, enfatiza a importância desse tipo de evento para fortalecer e criar uma identidade à especialidade.

Segundo Dr. Fernando, a criação da residência alterou o perfil dos profissionais, resultando em uma nova forma de enxergar a medicina do esporte. “Um dos grandes objetivos é desmistificar a ideia de que é só para atleta. Atualmente, não é um campo voltado apenas para a alta performance, mas focado também em medicina do exercício para a saúde, a prescrição de atividade física para tratar doenças crônicas.”

O evento é aberto a todos os médicos das mais diversas áreas e pode ser acompanhado presencialmente ou através da transmissão via internet. “A ideia é trazer temas do cotidiano, o esporte como ferramenta terapêutica, e acrescentar não só para médicos do esporte, mas para outras especialidades também.”, completou Fernando.

Por: APM

 

Voltar